Mestres do Universo - Parte 1

Apesar de tudo, o ano de 2021 está nos surpreendendo a cada momento. E é claro que não poderia faltar a emoção de poder assistir Mestres do Universo - Salvando Eternia (Masters of the Universe: Revelation). Uma animação exclusiva do Netflix em parceria com a Mattel Television e a Powerhouse Animation, que também foi responsável pelo espetáculo visual da animação Castlevania, também da Netflix - Review.


Então convocamos a todos os guerreiros tanto da nova quanto da clássica geração, para se prepararem e atenderem ao chamado à aventura, porque nos juntaremos aos Mestres do Universo para contar um pouco sobre o que aconteceu na 1ª Parte da CONTINUAÇÃO da animação original de 1983.


Trailer:


O que é

Estreando em 23 de julho, Mestres do Universo - Salvando Etérnia (nome BR) traz a primeira parte dessa história inesperada, entregando apenas 5 (cinco) episódios que dão sequência aos eventos da animação HE-MAN de 1983. Além de trazer personagens clássicos porém devidamente reformulados, a animação da Netflix, vem pautada na jornada de um grupo improvável a fim de salvar o destino do universo após os eventos catastróficos decorrentes da batalha entre He-Man e seu algoz, o Esqueleto.


Contrariando a maioria das expectativas, Teela e a novata Andra unem forças com Gorpo, Roboto e até mesmo Malígna e Homem-Fera. Na tentativa de resolver o mistério de como recuperar a Espada do Poder enquanto correm contra o tempo e o fim do Universo.


A animação evoca diversas memórias diferentes para quem conheceu as aventuras de He-Man nos anos 80/90. Mesmo com a característica marcante do novo visual proposto pela Powerhouse, a animação consegue misturar com sucesso a nostalgia da época a novas ideias. Ponto especial para o “plot twist” no final do primeiro episódio.


Aproveitando o gancho do parágrafo acima, é justamente nesse final de episódio que temos o nítido ponto de ruptura do enredo, onde a nova história realmente começa. Isso foi tão impactante (para os fãs antigos) que os showrunners já esperavam que sua continuação trouxesse algumas reclamações. Quanto a nós do Fliperama de Verdade, essa cisão de opiniões é mais do que bem-vinda justamente para trazer a discussão entre os novos fãs e os veteranos mais fervorosos.


Por falar em enredo, o mesmo se apresenta ao melhor estilo RPG de espada e feitiçaria, trazendo uma história maior que se desenvolve por meio de quests menores possibilitando a introdução e apresentação de personagens, suas situações e contextos após os eventos do primeiro episódio, o que aumenta consideravelmente a intensidade de suas relações à medida que a história progride.


Informação Técnica:

Como foi dito logo no início da matéria, Mestres do Universo: Salvando Eternia da Netflix foi produzido pela Powerhouse Animation (Mesma produtora que fez Castlevina da Netflix em parceria com a Mattel Television), que entregou uma animação limpa, fluida, cheia de cores fortes, pautada por um ritmo agradável mas, trazendo um enredo que, apesar de bom, está longe de ser uma inovação no meio.


Na parte sonora, a produção conta com as vozes de Chris Wood como Príncipe Adam / He-Man, Mark Hamill como Esqueleto, Sarah Michelle Gellar como Teela, Liam Cunningham como Duncan (conhecido no Brasil como o Mentor), Lena Headey como Maligna e Stephen Root como Pacato / Gato Guerreiro.



2ª Parte da Animação:

Kevin Smith, criador de Mestres do Universo: Salvando Eternia, afirma que a Parte 2 chegará em breve na Netflix (ainda em 2021). No Twitter, o escritor informa que os novos episódios da série estão “fechados e prontos” para serem lançados. O criador da animação explica que a trilha sonora do capítulo final já está gravada. Ao mesmo tempo, a edição de som do oitavo episódio foi finalizada.


A Parte 2 de Mestres do Universo: Salvando Eternia está oficialmente fechada, quase finalizada e pronta para ir”, contou Smith.


O produtor da Netflix também adianta uma importante batalha nos capítulos finais: “E spoilers! As batalhas de He-Man e o do Esqueleto são brutais”. Veja abaixo a publicação.


Veredito (sem spoilers)

Após o desenrolar dos cinco primeiros episódios de Mestres do Universo: Salvando Etérnia, temos uma grande variedade de emoções pelo retorno dos personagens clássicos, a evolução de suas personalidades e claro, o carinho e qualidade que a equipe de animação dedicou a essa produção. Cabe mencionar ainda que, a trilha sonora é um show à parte.


Apesar do elogio acima, o enredo da primeira metade da história se desenrola na quinta marcha e, isso é um problema para algumas pessoas. Toda essa pressa para contar a história em apenas 25 minutos de cada episódio, faz com que muitas situações sejam descaradamente negligenciadas, valorizando uns personagens em detrimento de outros - mesmo que esses deixados de lado tenham aparecido e contribuído consideravelmente para o avanço da história ou despertado interesse ou curiosidade por parte de quem está assistindo.


Os fãs da animação antiga talvez se incomodem com o fato da animação seguir uma linha narrativa onde a ação mira seus holofotes bem pra longe do He-Man. Mas fica fácil de entender isso quando prestamos atenção ao NOME do show, que é nada menos que: Mestres do Universo, salvando Eternia e não He-Man salvando Eternia.


Por fim, consideramos que essa é uma animação que merece SIM estar entre as melhores produzidas pela Netflix no ano de 2021, trazendo uma narrativa moderna, emocionante e impactante.

Gostou dessa matéria e quer mais? Continue acompanhando o Fliperama de Verdade no site e nas nossas redes sociais.


Para os interessados de plantão, para a galera que não sabe o que é RPG no meio nerd/geek, explicamos o que é em nosso o episódio 8 do Insert Coin Cast.


21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo