Arcane: League of Legends - Mais que uma animação!

Atualizado: 13 de dez. de 2021

Para nós, ainda é o ano de 2021, mas em Runeterra, o mundo onde se passam as partidas de League of Legends, a conversa é outra…


Mais uma vez, a Gigante do Streaming Netflix veio dar as caras com uma nova atração original que simplesmente elevou em muito a barra de qualidade.


Arcane estreou no catálogo da Netflix no dia 6 de novembro de 2021 liberando apenas 3 episódios de 40 minutos. Depois, no dia 13 de novembro vieram mais 3 episódios e no dia 20, finalmente liberaram os últimos 3 episódios que concluem essa primeira temporada; caso alguém não tenha compreendido, a série está dividida em 3 arcos de três episódios, caracterizando de maneira magistral o início, meio e fim de cada arco, assim como o faz para a temporada como um todo.


A animação é fruto de uma parceria Netflix com a Riot Games, empresa desenvolvedora do jogo League of Legends (LoL para o íntimos), que tem como cenário o mundo de Runeterra. Justamente onde fica a terra de Piltover e Zaun, os dois lados conflituosos de uma mesma moeda. Sendo produzida pelo estúdio Fortiche Production, responsável por entre outros trabalhos, o clipe da música Get Jinxed.


Depois de tudo isso, se ainda quiser saber um pouco mais sobre Arcane, escolha um lado e continue com a boa luta, porque ainda tem muita coisa pela frente.

 

Trailer oficial Netflix de Arcane:

 

O que é


Resumidamente, a série Arcane é uma animação derivada do lore de um jogo chamado League of Legends (LoL). Para quem não sabe nada de LoL, segue o básico: O jogo foi lançado em 2009, trazendo uma visualização isométrica 3D (inspirada no antigo Warcraft 3). LoL é jogado online de forma que 2 equipes de 5 jogadores (cada um com seu herói) combatem usando diversas estratégias para dominar/destruir a base da equipe inimiga.


Mas para entender a série da Netflix, não é preciso ser um curioso, entusiasta ou mesmo um jogador de LoL (de qualquer nível). Arcane não requer nenhum conhecimento prévio sobre o lore de Runeterra, seus reinos ou mesmo sobre os heróis do jogo e seus poderes. A direção da animação se dá ao trabalho de cuidar de detalhes que certamente possuem impacto narrativo de forma a contribuir com o andamento da história. Coisas simples como o bater de asas de uma borboleta, reflexos numa poça d’água e silhuetas na escuridão contribuem para encorpar um enredo misto de vingança, redenção, caminho do herói e pecado dos pais.


Por outro lado, todo o cuidado que a direção da série teve em não requisitar qualquer conhecimento prévio do espectador sobre o que é LoL, vem agregado à recompensa para aqueles que possuem essa bagagem extra, visto que diversos detalhes melhoram em muito a experiência daqueles que são fãs e conhecem o jogo. Acompanhando de maneira mais próxima o desenvolvimento de cada personagem e encontrando os diversos easter eggs ao longo dos 9 episódios.


Por fim, cabe destacar que a série não tem qualquer medo ou pudor em fazer uso de palavrões, expor sangue e até mesmo nudez velada e insinuações eróticas. Além disso, ainda se dá ao trabalho de fazer o público se apegar a alguns personagens (e seus ideais) para simplesmente matá-los depois! Tudo para para aprimorar a sequência narrativa e a experiência de assistir Arcane.

 

Info Técnica:

Arcane da Netflix é uma série desenvolvida pelo estúdio francês Fortiche Production, trazendo 9 episódios que levaram seis anos para ficarem pros. Esse “presente” para o público vem assinado pelos seguintes nomes:

  • Ash Brannon, diretor de Rock Dog: No Faro do Sucesso (2016), também trabalhou como escritor e produtor em Arcane;

  • Pascal Charrue, diretor e produtor de Arcane;

  • Arnaud Delord, diretor de Rocket & Groot (2017), também trabalhou como diretor e produtor em Arcane.

Já nas vozes temos:

  • Hailee Steinfeld interpretando a heroína Vi;

  • Ella Purnell interpretando a anti heroína Jinx;

  • JB Blanc interpretando o velho combatente Vander;

  • Jason Spisak interpretando o vilão Silco;

  • Kevin Alejandro interpretando o jovem conselheiro Jayce;

  • Harry Lloyd interpretando o inventor Viktor;

  • Toks Olagundoye interpretando a ambiciosa conselheira Mel Medarda;

  • Katie Leung interpretando a jovem defensora Caitlyn;

  • Mick Wingert interpretando um dos fundadores de Piltover, o conselheiro Heimerdinger e muitos outros grandes dubladores que entregaram um trabalho excepcional.

Arcane é uma animação que não é exemplar apenas em seu espetáculo visual. Também traz um áudio de muita qualidade, crível e bem imersivo. Sua trilha sonora envolvente é totalmente adequada a cada episódio, podendo ser conferida entre outros lugares no Spotify.

 

Segunda Temporada:

Apesar de ainda ser muito cedo para qualquer previsão a respeito do retorno de Arcane e seus novos episódios maravilindos, no dia 20 de novembro de 2021 o perfil @arcaneshow publicou um tweet informando que a segunda temporada da série já está em produção, más que a segunda temporada não precise levar mais 6 anos para ser entregue.

Veredito (sem spoilers):

Depois da chuva de comentários, reviews, análises e elogios à série, inclusive um bem inesperado vindo de ninguém menos que o Mestre Hideo Kojima, a equipe Fliperama de Verdade se rendeu à nova atração da Netflix.

Após o desenrolar dos 3 primeiros episódios e consequentemente o primeiro arco, a série já se conectou com qualquer pessoa que goste de uma boa história ou seja facilmente “capturada” por uma atração audiovisual de extrema qualidade.


Arcane entrega uma animação 3D fluida e linda que elevou muito o padrão das animações disponíveis no catálogo da Netflix. A série apresenta uma combinação de movimento de personagens e ambiente, expressões faciais que beiram a espontaneidade natural, coreografias de lutas que não perdem em nada para os melhores animes shonen, explosões de cores vivas e diversas integrações entre a essência 3D da atração com algumas animações 2D pontuais tão bem executadas que parecem uma pintura em movimento.


Além do espetáculo visual, a série tem um enredo que não é uma inovação ou primazia das obras literárias, mas é exatamente o que precisa ser para entregar o que entregou!


A simplicidade da storyline e seu desenvolvimento magistral é algo que as outras produções da mesma linha narrativa não conseguem fazer. Esse resultado talvez seja parcialmente explicado pelo fato de Arcane ser uma animação em 3D e não uma série live action.


Isso permite uma liberdade ímpar à direção para misturar estilos visuais, mudar a narração de acordo com os personagens, investir em ângulos inusitados de câmera, sequências de ação e desenvolver as mais diversas situações inter personagens de maneira muito própria e totalmente adequada à proposta do cenário em si. Cenário esse que mistura elementos antigos de cidades europeias pós era vitoriana, um pouco de magia e misticismo, robótica e por fim, elementos cyber e steampunk que trazem um ar sujo e violento à composição. Toda essa mistura de características transforma o cenário num grande personagem que conta silenciosamente sua história, que só pode ser percebida por quem está prestando atenção.


Ao final do nono episódio, Arcane já tem o público preso num turbilhão de emoções e tramas ansiando avidamente pela próxima temporada enquanto se posiciona facilmente como a melhor ou entre as 3 melhores animações no catálogo da Netflix.

 

Galeria:

Abaixo uma pequena galeria com algumas belas imagens retiradas diretamente da animação.


Gostou dessa matéria e quer mais? Continue acompanhando o Fliperama de Verdade no site e nas nossas redes sociais.


Para os interessados de plantão, para a galera que não sabe o que é RPG no meio nerd/geek, explicamos o que é em nosso o episódio 8 do Insert Coin Cast:


28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo