Review Ready or Not

O Lançamento do Game:

Ready or Not foi lançado em 17 de dezembro de 2021 na Steam e vem ganhando fãs e mais fãs enquanto novas atualizações vem surgindo. Sendo um jogo de tiro tático em primeira pessoa e desenvolvido pela VOID Interactive, o jogo nos leva à um cenário de instabilidade política e econômica nos leva ao Estados Unidos e encarnamos Judge, um Comandante de Elite da Swat encarregado de neutralizar situações tensas e hostis em uma cidade moralmente falida.


Trailer do jogo:


Sobre o que é o jogo?

Ready or Not é Jogo polêmico que retrata operações policiais próximo a realidade, onde coloca o jogador para assumir o controle de operadores de Forças Policiais em operações que simula situações de risco, tanto que causou polêmica por conter fase em uma escola. Diferente da maioria dos jogos de tiro, o foco no game não está em eliminar inimigos, mas em desarmar situações e só usar força letal quando for absolutamente necessário.


Não é nenhuma novidade que grande parte dos jogos nos colocam em situações fantásticas e fantasiosas, mas algumas seguem por outro rumo, reproduzindo o que ocorre no mundo real. Geralmente esses jogos são classificados como simuladores e por terem a ideia de colocar o jogador no papel de agentes de Grupos de Operações especiais da polícia.



Desenvolvimento:

Ready Or Not foi um jogo inspirado em títulos como o jogos da série Tom Clancy’s Rainbow Six e na série SWAT (desenvolvido pela Sierra em 2005), já o título da Void Interactive - desenvolvedora de Ready Or Not, só chegou (como em Acesso Antecipado) ao Steam no dia 17 de Dezembro de 2021 e causou algumas polêmicas. O motivo foi uma fase que recriaria um ataque a uma escola e que na verdade não havia nem entrado em desenvolvimento.


Desde o anúncio do seu lançamento, Ready or Not sempre foi retratado como um jogo que tentaria se manter o mais próximo da realidade e em sua página na Steam, e é possível ver um aviso em que os desenvolvedores não recomendam jogo para “pessoas que tenham passado por eventos pessoais traumáticos decorrentes de violência, situações de reféns ou terrorismo”. Em 2017 a desenvolvedora publicou um trailer onde já indicavam a existência de uma fase numa escola, além do desempenho gráfico do jogo.


Gameplay:

Ready or Not é um um FPS (jogo de tiro em primeira pessoa) intenso e tático, onde as unidades da SWAT são chamadas para controlar situações de risco, hostilidade e confronto em uma pegada mais realista. a VOID Interactive consultou equipes policiais do mundo todo para deixar mais próximo do real a mecânica do jogo. Um grande ponto para deixar o jogo mais realista, foram os efeitos da penetração de tiros por armas de fogo, de ricochete, e impacto do disparo no kevlar e das placas de coletes à prova de bala, além da expansão e da dinâmica de projéteis.


As missões estão disponíveis tanto em modo multiplayer cooperativo online quanto single-player, com membros do esquadrão controlados por Inteligência Artificial e prontos para obedecer aos seus comandos. O game terá uma campanha com uma história própria em sua versão final. Há também suporte para competitivo com outros jogadores. As missões são divididas em diferentes categorias: Barricaded Suspects, Raid, Active Shooter, Bomb Threat e Hostage Rescue. Em cada uma dessas o objetivo principal do jogador pode ser diferente, como resgatar civis, prender suspeitos, neutralizar atiradores inimigos ou desarmar bombas. Nas tarefas o jogador precisa respeitar as Regras de Engajamento (ROE) para apenas disparar quando suspeitos oferecerem risco contra sua vida ou a de um refém. Caso isso não aconteça, ele poderá ser penalizado.



Explore um sistema avançado e complexo de manuseio de armas e de manobras do jogador, criado com o objetivo de fornecer aos agentes um nível inédito de controle sobre a própria eficácia em situações de enfrentamento. O Ready or Not usa um esquema de controle simples e orgânico que não vai deixar os jogadores atrapalhados com dezenas de associações de teclas.


Fora das missões, usuários podem personalizar seu avatar e escolher quais equipamentos e armas levar para a missão. Há uma grande quantidade de acessórios para espionar e desarmar armadilhas deixadas por inimigos. Ao jogar no modo single player o usuário pode personalizar também o visual e equipamento de seus companheiros de equipe. No futuro o game promete ainda adicionar uma fase de preparação onde usuários podem decidir abordagens para a missão, como chamar apoio de snipers ou desligar a luz e entrar com óculos de visão noturna.


Requisitos mínimos:

Requisitos mínimos

Configuração recomendada

Sistema operacional:

Windows 7, 8.1 ou 10 (64 Bits)

Windows 10 (64 Bits)

Processador:

Intel Core i5-4430 ou

AMD FX-6300

Intel Core i5 7600K ou

AMD Ryzen 5-1600

Memória RAM:

8 GB

8 GB​

Placa de vídeo:

Geforce GTX 960 (2GB) ou

Radeon R7 370 (2GB)

Geforce GTX 1060 (6GB)

DirectX:

11

11

Armazenamento:

50 GB de espaço disponível

50 GB de espaço disponível

Veredito:

Apesar da polêmica causada no lançamento de Ready Or Not, onde nitidamente nos mostra que existe sim uma violência gratuita nos jogos atualmente, também temos centenas de títulos que tratam sobre saúde mental, solidão, consequências, toxidade, abuso de poder, entre outros problemas da realidade. Basta repararmos em títulos como Metro em que mostra as consequências de uma Guerra; Resident Evil onde uma empresa farmacêutica destrói vidas e os governos só pensam em guerra; Far Cry 6, com um ditador e muita política; para citar apenas alguns famosos e não achar que apenas os indies que falam sobre o assunto. Portanto, os jogos não são totalmente os culpados.


O estúdio divulgou uma nota em que reafirmou compromisso com realismo e a entrega de conteúdo de impacto, além de explicar que tratará a questão de uma forma que honre pessoas atingidas por esse tipo de tragédia e que não torne a experiência trivial. Por isso acreditamos que o jogo...



Gostou dessa matéria e quer mais? Continue acompanhando o Fliperama de Verdade no site e nas nossas redes sociais.


Para os interessados de plantão, a Equipe Fliperama de Verdade e convidados, gravamos um podcast sobre o filme do Dr Estranho e o Multiverso da Loucura:


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo