Resident Evil: No Escuro Absoluto

Atualizado: Set 21

Depois do sucesso de vendas e críticas de Resident Evil Village (RE8), lançado em maio deste ano, os fãs aguardavam o lançamento de Resident Evil - No Escuro Absoluto, pela gigante do streaming.


Finalmente chega o dia 8 de julho de 2021 e a parceria da Capcom/Netflix lançou e liberou acesso à mais nova animação do Universo de Resident Evil. Sobre isso, destacamos dois pontos:

  1. Diferente das animações anteriores, Resident Evil: No Escuro Absoluto (RENEA) veio no formato de série e,

  2. Traz uma história ocorrida no passado dos protagonistas, visando aprofundar a relação de Leon S. Kennedy e Claire Redfield.

Mas, para não estragar a experiência dos fãs, a Equipe Fliperama de Verdade apresenta abaixo uma análise (com poucos spoilers) seguida de um veredito pessoal sobre a atração. Agora que vocês já estão preparados e avisados, peguem os snacks e continuem com a gente para saber um pouco mais a respeito dessa nova (ou velha) ameaça biológica.


{Imagem de resident evil - no escuro absoluto}


Resident Evil - No Escuro Absoluto é Cânone?

Saciando a curiosidade tanto dos fãs quanto dos novatos, RENEA faz SIM parte da saga dos jogos, animações em CGI e mangás. Mas antes que vocês se perguntem se é ou não necessário acompanhar e revisar todo o Universo de RE para entender a atração da Netflix, a resposta é um NÃO sumário. Por outro lado, um espectador que tenha essa bagagem extra, certamente terá uma experiência diferenciada, já que a série está repleta de referências aos jogos e animações anteriores.


Tanto é que, abaixo, vocês podem comprovar o Tweet onde a Capcom e a Netflix informam que a série é canônica e os fãs mais dedicados podem ser capazes de encontrar a localização do enredo na cronologia de RE.

Tradução livre: “Quando os riscos biológicos correm soltos, apenas um par de matadores de zumbis veteranos pode fazer o trabalho. Resident Evil: No Escuro Absoluto é uma nova série original ambientada no cânone de @CapcomUSA_ A clássica franquia de terror de sobrevivência @RE_Games, chegando no próximo ano.


Enredo Base:

Passando anos depois do desastre de Raccoon City, RENEA explora um tempo de mudança para seus protagonistas Leon S. Kennedy e Claire Redfield, que lideram (cada um à sua maneira) a luta contra as armas bio-orgânicas.


Ambientado depois de Resident Evil 4, mas antes do incidente de Kijuju em Resident Evil 5, Leon abraçou seu papel como chefe de segurança do presidente Graham depois de salvar sua filha de Los Iluminados. Enquanto isso, Claire está no exterior, trabalhando para a TerraSave em Penamstan (país fictício na região do Oriente Médio), um lugar devastado por uma sangrenta guerra civil.


A série Inicia com uma operação militar em Penamstan. Logo depois, segue para os Estados Unidos, onde um surto de vírus na Casa Branca coloca Leon para usar suas habilidades “antizumbis” a fim de salvar o Presidente, o Secretário de Defesa e o de Relações Internacionais durante uma conferência para tratar de:

  • Conspirações e armas biológicas cultivadas em laboratórios,

  • Segurança internacional e tensões entre os EUA e a China.

Claire, junto com a TerraSave, está buscando melhorias e desenvolvimento da infraestrutura em Penamstam, mas alguns eventos chamam a atenção da sobrevivente de Raccoon City, que inicia uma investigação particular em busca da verdade.


Analisando a nova história:

RENEA é uma animação que explora um pouco as ações de Leon S. Kennedy e Claire Redfield após os eventos de:

  • Resident Evil 2;

  • Resident Evil Code Veronica;

  • Resident Evil Darkside Chronicles;

  • Resident Evil 4;

  • Resident Evil Revelation 1 e

  • Resident Evil Degeneration

Onde Leon continua sendo um agente altamente especializado do Governo dos Estados Unidos e Claire vem buscando salvar o mundo através da TerraSave.


Trailer:


Detalhando mais o enredo da série sem render muitos spoilers, o espectador é “jogado” mais ou menos 2 (dois) anos após os acontecimentos de RE4, no meio de uma sequência de eventos que, positivamente falando, se desdobram de maneira ordenada dando à animação o trio básico: Começo, Meio e Fim. No entanto, o não aprofundamento no universo de RE torna os personagens em criaturas rasas e com passados não tão interessantes, quase tanto quanto o porquê de estarem fazendo seus serviços atuais: Cada um “salvando” o mundo à sua maneira.


De forma simples e objetiva, às vezes ignorando coisas “simples” como o fluxo de tempo (em algumas partes), porém, tomando cuidado para não contradizer a história canônica, RENEA faz várias referências a eventos importantes na cronologia de RE destinadas a melhorar a compreensão do universo dos jogos. Mas ainda assim, nada que a transforme num episódio obrigatório na cronologia da franquia. Inclusive, infelizmente a série não responde muitas perguntas que foram deixadas nos jogos anteriores.


Por falar em respostas, RENEA ajuda a clarear algumas dúvidas que as pessoas (fãs?) tinham sobre o relacionamento de Leon e Claire (além de apresentar peças de worldbuilding que RE 4 e RE 5 apenas sugeriram, principalmente no âmbito político), considerando tudo que aconteceu nos jogos, sem mergulhar em qualquer assunto. Isso acaba entregando uma experiência essencial ao público “leigo” que deseja conhecer os traços mais gerais do “RE verse”, enquanto reforça e passa uma rasteira a quem ainda acredita que RE se trata apenas de matar zumbís.



Informação Técnica:

A animação foi produzida pelo Netflix em parceria com a Capcom e estreou em 8 de julho de 2021 com 4 (quatro) episódios de aproximadamente 26 minutos cada um. Na dublagem tivemos no papel de Leon S. Kennedy o Toshiyuki Morikawa em japonês e Nick Apostolides em inglês, sendo o mesmo dublador do jogo Remake de Resident Evil 2, já a Claire Redfield temos a Yūko Kaida em japonês e Stephanie Panisello em inglês, que também dublou Claire em Resident Evil 2 - Remake.


Veredito sem (muitos) spoilers:

RENEA é um curioso desvio, da trama principal da franquia, onde infelizmente não contribui para complementar o enredo canônico. Situado entre os eventos de Resident Evil 4 e 5 , a minissérie em quatro partes conta uma história sobre disfarces governamentais obscuros e intenções de conflito que carecem de substância. No Escuro Absoluto não é tão sutil sobre suas influências (de jogos e animações anteriores), mesmo quando tenta envolvê-las em um conto de espionagem e missões de resgate, como se quisesse misturar um film de guerra como Falcão Negro em Parigo (2001) com uma epidemia ou apocalipse zumbi.


A animação em CGI carece fluidez frente algumas animações modernas, tanto que é possível perceber (sem muito esforço) o movimento de alguns personagens sendo “um pouco” rígidos. Há quem defenda que isso foi proposital para lembrar a movimentação dos personagens nos jogos clássicos da série.


Outro ponto que merecia maior atenção é justamente o desenvolvimento da história e o timing entre os eventos. Um erro ou pecado que talvez tenha explicação na quantidade reduzida de episódios.


Infelizmente a Netflix não soube trabalhar a história dos dois personagens simultaneamente, temos a “aventura do Leon” que tem a maior parcela da animação, envolvendo investigação e personagens secundários e a “aventura da Claire” onde ela realiza a própria investigação se desenvolvendo de forma simples e rápida (influência do roteirismo ou Deus Ex Machina na série), em que as duas histórias se convergem em uma batalha com o chefe final.


Sobre a tensão da animação, no primeiro trailer aponta uma premissa mais tensa e imersiva, sentimentos em que os primeiros jogos e os dois últimos provocam, já no desenrolar da animação temos poucos sustos e distantes entre si, fazendo que tenha um ar mais de ação. No primeiro episódio, temos uma ambientação mais próxima dos jogos, incluindo momentos grotescos de terror corporal.


Apesar dos pontos de avaliação, a animação possui uma dublagem muito bem feita (parabéns novamente para a dublagem brasileira), os ambientes foram muito bem trabalhados graficamente e as cenas de ação são dignas de um filme de ação.


No final da série, deixando ponta para uma possível continuação, temos a presença da Tricell, mas até o presente momento não temos confirmação do Netflix e nem da Capcom de uma continuação para a animação. A série ocorre principalmente em 2006, três anos antes dos eventos de Resident Evil 5, o que significa que há um intervalo de tempo grande o suficiente para que mais histórias envolvendo Tricell para que possam ser exploradas, sejam as investigações de Leon e Claire sobre a organização ou Chris Redfield (talvez) trabalhando junto com Jill Valentine.

Gostou dessa matéria e quer mais? Continue acompanhando o Fliperama de Verdade no site e nas nossas redes sociais. Comentem com a gente sobre suas teorias dentro do Universo de Resident Evil.


Aproveitando o ambiente de terror, para os corajosos de plantão, juntamos a Equipe do Fliperama de Verdade e o pessoal do Criptacast para falarmos sobre o que achamos de "Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio":


40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo